Nalanda Aracaju

Treinando esta mente

~ Ven. Ajahn Chah ~

Ven. Ajahn Chah

Ven. Ajahn Chah

Treinando esta mente… Na realidade não há nada de especial na mente. Ela é simplesmente radiante em si mesma e por si. É naturalmente pacífica. Por que é que a mente não está em paz agora mesmo? Tal deve-se a que ela se perde nos seus humores. Não há nada específico na mente. Ela simplesmente permanece no seu estado natural, é só isso. O fato de a mente se sentir em paz umas vezes e outras sem paz é porque fica iludida por esses humores. Na mente não treinada falta sabedoria. É uma idiotice. Os humores chegam e iludem-na com estados de prazer num minuto e de sofrimento noutro. Alegria e depois tristeza. Mas o estado natural da mente de uma pessoa não é de alegria ou tristeza. Essa experiência de alegria ou tristeza não é a mente em si mesma, mas apenas os humores que a iludem. A mente perde-se, levada por esses humores sem fazer ideia do que se passa. E como resultado, experiencia prazer ou dor porque a mente ainda não foi treinada. Ela não é ainda muito sábia. E nós continuamos a pensar que a nossa mente está a sofrer ou que a nossa mente está alegre quando, na realidade, está apenas perdida nos seus vários humores.

O ponto principal é que esta nossa mente é naturalmente pacífica. É quieta e calma com uma folha que não é soprada pelo vento. Mas se o vento sopra ela abana. Ela faz isso por causa do vento. E, assim, a mente, por causa dos humores, torna-se apanhada nos pensamentos. Se a mente não se perder nesses humores não esvoaça por aí. Se ela compreendesse a natureza dos pensamentos ficaria em quietude. E isso é chamado de estado natural da mente. Nós praticamos para vermos a mente no seu estado natural. Nós pensamos que, na realidade, a mente é ela própria, prazerosa ou pacífica. Mas na realidade a mente não criou nenhum prazer ou dor. Esses pensamentos chegam e iludem-na e ela fica sujeita a eles. Então, nós devemos mesmo treinar as nossas mentes de forma a aumentar a nossa sabedoria. Assim, nós podemos entender a verdadeira natureza dos pensamentos em vez de os seguir cegamente.

A mente é naturalmente pacífica. É para entender essa simples realidade que nós nos reunimos para concretizarmos a difícil prática da meditação.

Notas de rodapé:
[1] Esta palestra foi previamente impressa com uma diferente tradução intitulada “Sobre esta mente”.


Traduzido por Pedro Cruz para a Comunidade Buddhista Nalanda
com a permissão dos detentores do copyright
© 2013 Edições Nalanda